2020.03.07 -XXXapada Morbid Sessions II | AKERCOCKE + NADER SADEK + NECRONAUTICAL + AKLASH + CONGRUITY -RCA Club- Lisboa

Críticas & Comentários a Concertos & Eventos!
Avatar do Utilizador
Enigma
Ultra-Metálico(a)
Mensagens: 4757
Registado: quarta set 26, 2007 3:48 pm

2020.03.07 -XXXapada Morbid Sessions II | AKERCOCKE + NADER SADEK + NECRONAUTICAL + AKLASH + CONGRUITY -RCA Club- Lisboa

Mensagempor Enigma » segunda mar 09, 2020 9:05 pm

Perdi a primeira banda da noite e única banda nacional da noite, os Congruity. Quando cheguei estavam os britânicos Aklash no início da sua atuação, servindo, para mim, de mote para o início de fest. Pareceram-me uma banda competente, com boa presença em palco (embora relativamente discreta, e isso não tem de ser necessariamente visto como algo negativo), em que o principal destaque vai para o frontman pela maior intensidade e também por mostrar, amiúde, os seus predicados como violoncelista. À partida pode parecer um pouco estranho, mas combinou muito bem com a parte instrumental, numa banda que deambula entre o doom e o (atmospheric) black metal (e que, como o Santiago me fez notar), não ficaria nada mal num cartaz do Under The Doom. Bom começo de noite assegurada pela primeira do trio de bandas britânicas.
Seguiram-se os Necronautical, com uma abordagem completamente diferente do black metal relativamente à banda anterior, seguindo uma linha mais "tradicional", com corpsepaint, velas em palco, etc. No geral, gostei da sua atuação, teve momentos particularmente interessantes (mais para o final da atuaçãoi), embora também deva referir que me pareceu tudo um bocadinho "by the book", sem grandes rasgos (dito de outra forma, fará parte de um grupo de bandas de segunda/terceira linha de uma vertente mais mainstream do BM).
Finalmente tive oportunidade de rever os Akercocke, pois a única ocasião em que os vi já dista onze anos (SWR 2009). Em 2017, apesar de também ter estado presente no SWR, perdi a sua atuação. Deram um concerto de cerca de uma hora com uma intensidade de fazer corar muita banda novata. Foi uma verdadeira montanha russa de extremismo musical, com um bocadinho de tudo - death, black, avantgarde, mas tudo cozinhado de uma forma magistral, como muito poucas bandas o sabem fazer. Contam atualmente com 3 elementos da formação original (com o regresso do guitarrista Paul Scanlan), mostrando que a máquina continua muito bem oleada. O Jason mostrou, mais uma vez, ser um verdadeiro monstro de palco, no que foi muito bem secundado pelo baixista, segundo julgo saber apenas músico ao vivo, mas que se mostrou bastante empenhado e com energia para dar e vender. O David Gray mostrou-se como um verdadeiro polvo atrás do kit de bateria. A setlist contou com nove temas que atravessaram todos os quatro primeiros álbuns da discografia da banda (curiosamente ficaram de fora temas dos dois últimos álbuns), com maior destaque para o icónico The Goat of Mendes (Horns of Baphomet, que iniciou o concerto), Of Menstrual Blood and Semen, A Skin for Dancing In e Ceremony of Nine Angels, que encerrou), Hell (do 1º álbum), a enorme Scapegoat e a também excelente Son of the Morning (do Chronozon) e do Words That Go Unspoken, Deeds That Go Undone tocaram a Verdelet e a monstruosa Shelter from The Sand. Concertão que, só por si, justificou plenamente a minha presença no fest. :metal:
Para o final de noite, ficaram reservados os Nader Sadek. Como nunca os tinha visto (também perdi o concerto no SWR), e gostei do seu (já longínquo) álbum de estreia, tinha alguma expetativa para o concerto. Pois bem, essa expetativa saiu gorada. Desde logo, e isto é algo que já me ter um pouco o pé atrás, é o facto de ser quase um eufemismo referirmo-nos a Nader Sadek como uma banda, pois o seu line-up é um verdadeiro entra e sai que, teria forçosamente que ter reflexos (a meu ver, bem negativos) no som e performance geral da banda. Iria mesmo mais longe, e diria que qualquer semelhança entre a banda que gravou o In The Flesh e a banda que esteve em palco no RCA é pura coincidência (é bom recordar que os músicos que gravaram esse álbum foram nem mais nem menos que Flo Mounier, Rune Eriksen e Steve Tucker). O palco estava decorada com árvores (despidas de folhas) que o vocalista (com uma máscara meio bizarra) ia destruindo ao longo dos temas (de certa forma, fez-me lembrar os Gaerea em termos de apresentação em palco, mas aqui numa versão bem downgrade). Quanto à música, também não me conseguiu agarrar e só mesmo na parte final do concerto é que houve uma maior dose de energia e entrega vinda de palco (curiosamente o melhor momento do concerto foi no último tema em que o vocals, já liberto da máscara), conseguiu apresentar-se muito mais desenvolto em palco. Valeu por ficar a saber, in loco, qual a fase atual da banda.
Computo geral muito positivo para a segunda edição do fest (o ano passado também havia marcado presença). Boa organização, melhor venue em Lisboa para este tipo de eventos e horários cumpridos (excetuando o deslizar do horário em Nader Sadek, mas ainda assim aceitável).
Valfar, ein Windir

Santyago
Ultra-Metálico(a)
Mensagens: 1163
Registado: quinta jan 08, 2009 2:44 am

Re: 2020.03.07 -XXXapada Morbid Sessions II | AKERCOCKE + NADER SADEK + NECRONAUTICAL + AKLASH + CONGRUITY -RCA Club- Li

Mensagempor Santyago » sexta mar 20, 2020 10:42 pm

Um pouco atrasado, mas ficam aqui os meus pontos que achei das bandas que vi nesse dia:

Aklash - Por outros motivos, não comecei a assistir esta noite a partir de Congruity. Comecei por esta banda, que era uma banda de abertura com uma setlist a rondar os 30 minutos. Um Black metal interessante, também muito por causa do toque do violino em 1 música ou duas que dava uma outra atmosfera. A banda tinha boas ideias, era um som mais atmosférico, com alguns toques de melodia. Foi um concerto no geral bastante agradável e que gostei de ver. Como Enigma bem referiu, é uma banda que assentava bem num Under the Doom, caso haja uma futura oportunidade de volteram cá.

Necronautical - Um black metal que já vi e que não me despertou grande interesse. Uma banda activa em palco e o pouco público que os foi ver deve ter gostado. Não tenho muito mais nada a dizer, não me ficou nada na cabeça.

Akercocke - A banda que me interessava mais ver, especialmente por ser fã da discografia deles e de ter visto aquele concerto demolidor na 20ª edição do SWR Barroselas. Novamente com um guarda-roupa mais informal (T-shirts e calças normais, nada a ver com o vestuário de antigamente), Jason Mendonça deram outro concerto demolidor. Dando malhas de The Goat of Mendes, Choronzon e Words that go Unspoken, Dees that go Undone, umas com um traço satânico, outros mais sexual, riffalhadas fortes e técnicas, e o baterista a dar uma valente muralha de som. Foi pena foi a segunda guitarra, a do Mendonça, tenha falhado na parte final do concerto, mas devidamente compensada pelo Mendonça pegar no microfone e ser um frontman. Kudos para o guitarrista ao lado com um backpatch de 2112 dos Rush. Foi um óptimo concerto, que estendeu 1h e pouco! Destes o pessoal gosta!

Nader Sadek - Nada me ficou deste concerto, tirando as árvores. Foi um bocado melhor do que quando os vi no Barroselas, curiosamente na mesma edição que Akercocke. Contudo, novamente não me agradou por aí além. Não devo dar mais tentativas à banda após este concerto.

Uma casa reduzida a um terço infelizmente. Esperava uma casa melhor, mas pronto, quem lá esteve saiu certamente satisfeito do que quis ir ver.
Old_Skull Escreveu:Esta MUrda é cada vez mais um antro de Guerrilheiros de Teclado. Até dá gosto... :grim:


Voltar para “Rescaldo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante